NEM AQUI, NEM ALI, NEM ACOLÁ¨

NEM AQUI, NEM ALI, NEM ACOLÁ¨
Clique no livro para comprar pela Internet

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Sou filho de Papai Noel

            Viajando pela Turquia descobrimos que a figura de Papai Noel tem sua origem em São Nicolau de Mira, então um homem rico e religioso que ao saber que um dos vizinhos tinha se visto obrigado a prostituir suas três filhas devido à miséria jogou três sapatos cheios de ouro pela janela da casa tentando assim remediar a situação daquela família. Venerado pelos católicos por sua caridade e afinidade com as crianças. 

            Papai Noel é uma fábula irresistível que se tornou sinônimo de comemoração do Natal. O filme “Milagre na Rua 42”, relata a história de um idoso de olhos brilhantes, respeitável barriga e barba branca, que fora contratado para trabalhar como Papai Noel na maior loja de Nova Iorque. Seu sorriso fácil, bondade e simpatia contagiou a todos com o espírito caritativo do Natal. Denunciado como louco por detratores e céticos, foi submetido a julgamento no tribunal. Absolvido unanimemente após o juízo desafiar a fé de todos com a pergunta: você acredita em Papai Noel?

            Conheci meu Papai Noel na década de 1950 em uma celebração de Natal no quartel do 15o Regimento de Infantaria, meu pai tocava trombone na banda de música da corporação. Carregando um enorme saco de presentes, um velhinho barbudo, vestido de vermelho apareceu repentinamente em um jipe aberto, na companha da esposa do comandante da guarnição. Excitado com o prospecto de ser presenteado com um corte de tecido e brinquedos, nunca notei a ausência do meu pai entre os integrantes da banda tocando músicas natalinas. Descobri anos depois que ele era o Papai Noel sempre presente na vida da sua família e das crianças que ele tanto amava. 

            Pouco conhecido no Brasil, tenho dúvidas se o legado de São Nicolau de Mira serviria de inspiração ou motivação para uma vida dedicada a pessoas excluídas e crianças em situação de risco. Meu pai, o Papai Noel de todas os momentos, cumpriu sua missão sem nunca encher seus sapatos de ouro ou vacilar sobre o que era o sentido da sua vida. Feliz Natal Pai, você sempre foi nosso presente...

Palmarí H. de Lucena, membro da União Brasileira de Escritores





Nenhum comentário: